“Não faria por menos de US$ 500 mil”, diz virgem leiloada!


Nos últimos dias, o assunto na internet é a brasileira Catarina Migliorini que leiloou sua virgindade. Em entrevista ao portal G1, após fechar negócio de US$ 780 mil (o equivalente a mais de R$ 1,5 milhão), ela afirma que, apesar do motivo principal não ser o dinheiro, havia projetado uma quantia mínima: “Por menos de US$ 500 mil dólares eu não aceitaria”, fala”.

Perguntada se ela ficou satisfeita com o resultado do leilão, a catarinense responde: “Achei um bom valor, pois eu já havia dito para o Justin (produtor) que por menos de US$ 500 mil dólares eu não aceitaria”. Segundo Catarina, o fato do ganhador ser um japonês não muda nada. A moça ainda fala que sabe que ele tem 53 anos e também tem bastante dinheiro.

Inicialmente, a data para o ato sexual era no dia 3 de novembro, porém a virgem afirmou que ela terá um evento no começo do mês no Brasil e o dia correto ainda está sendo decidido. Sobre o dinheiro, Catarina diz que toda a quantia ganha no leilão será depositada em sua conta e não pensa em desistir da ação.

Questionada como encarou o fato de ser chamada de garota de programa, a jovem disse: “Bem, primeiro que há muito preconceito em torno dessa frase ‘garota de programa’. Como todos sabem, é uma profissão antiga e a meu ver deveria ser legalizada e respeitada porque se tratam de pessoas e todo ser humano merece respeito, independente de qualquer coisa. Além do mais, há outras modalidades que se enquadram perfeitamente dentro desse contexto chamado ‘prostituição’ e que muitos fingem não perceber como …sexo sem afeto, sexo em troca de favores profissionais ou informações, sexo por dinheiro, fotos mostrando as partes íntimas do corpo, casamentos por interesse econômico, enfim, é tudo prostituição.”

Anúncios

Mallu Magalhães chora durante apresentação do Planeta Terra

Um problema de som durante o Planeta Terra levou a cantora Mallu Magalhães às lagrimas na tarde deste sábado (20). Ela foi a primeira atração a subir ao palco principal do festival, que ocorre em São Paulo.
A cantora se apresentou debaixo de chuva e não conseguiu segurar o choro logo no início da apresentação. Na segunda música, “Ô, Ana”, Mallu se atrapalhou com a letra e deu uma bronca na produção: “Tá difícil o som. Vamos começar de novo, vai ser melhor”, disse.